10 formas de o póquer o tornar uma pessoa mais inteligente

Jogo de póquer

O pôquer é um jogo um único, porque ele envolve estratégias para que um jogador possa derrotar seus adversários e ganhar o dinheiro da mesa. Dessa modalidade de jogo de cartas é possível tirar 10 lições que podem ser aplicadas tanto na vida pessoal, quanto nos negócios, deixando a pessoa mais inteligente.

Lição 1: capacidade de concentração

Pessoas que têm dificuldade de se concentrar podem encontrar no pôquer um bom aprendizado. O pôquer exige que a pessoa concentre-se para fazer todas as jogadas, pois ele trabalha com diversas possibilidades. Diferentemente de um aprendizado sem responsabilidade, no pôquer, se o jogador negligenciar a concentração ele irá perder dinheiro, o que o estimula a se concentrar mais rapidamente.

Uma pessoa com facilidade de concentração pode lidar melhor com problemas abstratos como os números, tanto na vida pessoal quanto no trabalho.

Lição 2: controle emocional

No pôquer, a expressão “há muita coisa em jogo” não é simplesmente uma metáfora, é um fato, sendo “coisa” na verdade o dinheiro da aposta. Por isso, para cada jogador é importante manter um controle emocional que não denuncie todas as expectativas para os adversários. É comum nos jogos de pôquer os jogadores não mostrarem nenhuma reação ao conseguirem uma nova carta, por exemplo.

Se no pôquer é preciso esconder as emoções, na vida isso não é necessário – nem saudável – mas é importante ter um controle emocional. Algumas situações exigem essa capacidade, como em um desacordo entre a pessoa e seu chefe ou familiares. O controle emocional nessas situações permite que a pessoa avalie as possibilidades com calma e possa utilizar sua inteligência.

Lição 3: capacidade de adaptação

Numa rodada de pôquer tudo pode mudar. Nesse contexto quem não souber se adaptar as novas situações vai perder espaço e até mesmo o jogo. Adaptação não consiste em ser mais forte ou mais rápido, mas em ser flexível: ser forte quando preciso, ser rápido quando necessário, e igualmente, saber ser paciente ou persistente quando a jogada exigir.

Na vida não faltam exemplos para esse tipo de situação: a queda de empresas obsoletas, pessoas que não passam por reciclagem profissional e mesmo casos em que um relacionamento fica repetitivo. A capacidade de adaptação faz com que a pessoa descubra novos caminhos e melhore sua inteligência frente aos desafios.

Lição 4: Aprender a aprender

Não há uma fórmula certa para ser um bom jogador de pôquer. Uma jogada que funcionou na rodada passada já não pode mais ser usada e por isso é preciso que o jogador esteja sempre aprendendo as estratégias e fraquezas de seus adversários e também as suas próprias. Nesse processo, o jogador cria um método individual para aprender a aprender. Isso significa que, para otimizar o processo de aprendizado, o jogador vai aos poucos eliminando tudo que é desnecessário nesse processo e aprimora suas qualidades de aprendizado. Com o tempo, o jogador aprendeu a aprender e pode se adaptar mais rapidamente as novas situações.

O aprendizado é um processo que procura aumentar a inteligência, mas muitas vezes as pessoas não sabem como aprender e ficam presas numa etapa do aprendizado. Para ficar mais inteligente, a pessoa precisa aprender a aprender.

Lição 5: disciplina

O pôquer não é um jogo de instinto, como nos filmes em que o jogador resolve apostar tudo sem ter certeza do sucesso. Nesse jogo é preciso disciplina para não se precipitar. Disciplina significa que o jogador já conhece as 4 lições anteriores e sabe como usá-las. Isso também vale para o momento de treinamento. Após os primeiros jogos, é importante sempre renovar o aprendizado com as novas informações, para poder aplicar na prática o que deseja, e nesse processo é preciso disciplina para não cair na tentação de achar que em determinado nível é possível ignorar as regras.

A disciplina é uma qualidade que facilita os desafios da vida, como encarar tarefas complexas, cumprir metas e seguir o caminho almejado, recompensado a inteligência com o uso do método.

Lição 6: Saber bater e bater em retirada

O jogo do pôquer é um cenário onde os jogadores, mesmo que experientes, não podem ter total certeza do sucesso. Por isso é preciso que a pessoa arrisque, mas a dúvida é o quanto? Isso depende das probabilidades: quanto melhor a mão, melhor as chances, sendo o inverso também verdadeiro. Assim, o jogador deve avaliar suas opções e deduzir as possibilidades dos outros jogadores, para decidir se irá “bater”, tomando uma atitude agressiva ou então, irá “bater em retirada”, desistindo da rodada para diminuir as perdas.

Tanto empresas quanto pessoas se defrontam com uma situação onde é preciso seguir em frente ou então interromper algo. A avaliação sobre qual decisão tomar em cada caso deixa a pessoa mais inteligente para perceber nos próximos casos os riscos e as oportunidades e saber administrá-los.

Lição 7: ler os números

Por lidar diretamente com as noções de probabilidades e combinações possíveis, o pôquer é um grande mestre para quem deseja ler números. Com a prática, o jogador passa a reconhecer mais rapidamente as probabilidades e também a avaliar jogo pelas cartas disponíveis.

No mundo empresarial e na vida doméstica, saber ler os números é uma ferramenta importante para ganhar e manter dinheiro, como preparar um orçamento, analisar investimentos e verificar balanços contábeis. Essa habilidade é chamada por alguns autores de inteligência financeira.

Lição 8: aprender a perder

O sucesso é almejado em qualquer atividade, mas quando a derrota ocorre, muitos não sabem lidar com ela. Além de não poder se desesperar é preciso tirar um aprendizado valioso da derrota, que é saber o quanto se pode arriscar. A perda deve ser usada para entender onde foi cometido o erro e então se preparar melhor.

Na vida uma pessoa se depara constantemente com situações de derrota, o que algumas vezes é fácil de contornar e outras vezes não, por isso essa pessoa deve saber equilibrar seus pensamentos e emoções para se reerguer e seguir em frente, aprendendo com seu erro e melhorando seu potencial.

Lição 9: aprender a ganhar

Após entender diversas lições no pôquer, o jogador deve se policiar para não se precipitar por arrogância. Muitas vezes o excesso de confiança é usado pelos adversários para que o jogador perca tudo numa só jogada. Aprender a ganhar é acima de tudo valorizar o que se conquistou e admitir a si mesmo que ainda é preciso melhorar e então buscar um meio de melhorar.

Muitas pessoas não conseguem manter aquilo que conquistam, e isso pode ser evidenciado por ganhadores de loteria que rapidamente perderam tudo que ganharam do jogo. A pessoa precisa aprender a ganhar para administrar seus ganhos e estar sempre em busca de mais, mas sempre seguindo uma disciplina que irá apoiar essa busca e tornar a pessoa mais inteligente e preparada.

Lição 10: experimentação e experiência

No pôquer e em outros jogos, somente a prática e a experimentação constante vai gerar resultados satisfatórios, e por isso a dedicação deve ser empregada nesse sentido. Quem deseja melhorar deve sempre jogar para não ficar obsoleto e experimentar novas jogadas. Da mesma maneira, aquele que busca uma melhoria no seu desempenho deve usar como exemplo pessoas mais experientes, como jogadores profissionais. Como ele sabia que o oponente iria desistir? Como ele elabora suas estratégias vitoriosas? Essas perguntas e outras surgiram naturalmente para quem observar os vencedores e então o conhecimento passa a estar mais próximo.

 É comum que algumas pessoas acreditarem que o sucesso venha sem esforço, mas para aprimorar as habilidades e a inteligência, é preciso treinar, praticar e experimentar, bem como seguir exemplos de sucesso.

O pôquer é um jogo que faz o jogador raciocinar e aprender sobre si mesmo e sua relação com os adversários. Essas lições devem ser usadas tanto no jogo, quanto na vida, para se alcançar o sucesso.

Votação: